REFERÊNCIAS REAIS DE SAINT SEIYA

 

| Imagens e Pinturas | Artefatos e Esculturas | Construções e Monumentos | Filmes e Músicas | Outros |

 

A coleção aqui apresentada possui inúmeras fontes de referência, as quais podem ser verificadas ao final da página. Muitas delas já vínhamos coletando e descobrindo aqui e ali ao longo do tempo. Todavia, três grandes coleções praticamente puseram fim ao nosso grande passatempo de ir juntando essas informações. A do site "Le Scribe du Sanctuaire" (francês) e as derivada do mesmo do site: "I Cavalieri dello Zodiaco" (italiano) e do "La Guia de Saint Seiya" (espanhol). Pois eis então a nossa versão em português, organizada de modo diferente e ao visto, por enquanto, com acréscimos - logo eles atualizam com nossas contribuições também.

 

Sonata para Piano nº 12 in F, K332 (300k)

No blog: Saint Seiya & Mozart. Imagem retirada do capítulo 19 do animê (quem diria que eu tiraria tanta coisa "útil" dessa fase...). Aparece quando Saori, angustiada, resolve tocar um pouco de piano antes de deixarem a mansão Kido em um poderoso Harrier.


Graças a um colega de fórum (Loki/Fórum Arayashiki) sem querer descobri a autoria real desta partitura: Wolfgang Amadeus Mozart.

A música interpretada se trata na verdade da "Sonata para Piano nº 12 in F, K332 (300k)". Mais especificamente, é o Primeiro Movimento: "Allegro".

Aqui você pode ver as partituras originais (páginas 28 à 34 do site Neue Mozart-Ausgabe). Você também pode conferir o vídeo e o áudio da música em nosso site, acima. 

2001: A Space Odyssey

2001: Uma Odisséia no Espaço (2001: A Space Odyssey) é um filme de 1968 dirigido por Stanley Kubrick. É considerado um dos maiores épicos da ficção científica de todos os tempos. Baseado na obra de Arthur C. Clark (falecido recentemente), a trama aborda a evolução do homem desde os primeiros hominídeos até a era espacial.

Em Saint Seiya, no nosso volume 8, página 85, encontramos uma cena muito similar à elaborada no filme: uma placenta cósmica gerando um feto. No enredo de Kubrick e Clark a imagem simboliza a "Aurora da Humanidade", ou seja, o despertar de sua evolução consciente, influenciada pelo famoso monolito negro. Já no nosso mangá, parece representar tão somente o destino e união cósmica partilhados pelos filhos de Mitsumasa Kido.

Village of the Damned

A Cidade dos Amaldiçoados, Village of the Damned no original, foi um filme dirigido pelo diretor alemão Wolf Rilla lançado em 1960, que teve uma continuação em 1963 (Filhos da Maldição, Children of the Damned) e um ''remake'' de 1995 dirigido por John Carpenter e estrelado por Christopher Reeve - alias o último antes de ficar tetraplégico. Acompanhe o resto do artigo diretamente no blog.